Uma aventura…

UMA AVENTURA…

A atmosfera interior natural e o espírito de família é sinteticamente a espiritualidade do Carmelo, a sua alma. 

A dimensão orante e contemplativa devera ser vivida e apresentada com abertura à transcendência, como fonte de compromisso e esperança nos caminhos de transformação do mundo, como caminho para o diálogo ecuménico e interreligiosos segundo as diversas situações sócio – culturais.

Os “desejos de liberdade” e libertação, fruto da consciência da dignidade humana, exigem compromisso de todas as pessoas de boa vontade na defesa e promoção dos direitos humanos. O Carmelo não pode permanecer indiferente a estes desafios sabendo como Teresa de Jesus, João da Cruz, Teresa de Lisieux e Edith Stein e muitos outros santos carmelitas e mestres da vida espiritual falaram de dignidade da pessoa, criada à imagem de Deus.

Nós, Carmelitas Descalços queremos enfrentar os desafios presentes nas realidades sócio – culturais – eclesiais. Queremos sentir-nos co-responsáveis dos problemas sociais e procurar soluções, ainda que sejam pequenas, aos problemas que nos rodeiam, como actualização da consciência profética que nos deve caracterizar, longe de todo absentismo e passividade.  

Os autênticos orantes e contemplativos são capazes de descobrir o transcendente presente e próximo das pessoas, nos acontecimentos, no positivo e no negativo da história. Um Deus que nos questiona e interpela.

A vivência e o testemunho da experiência de Deus terá lugar, no meio dos desafios de cada ambiente sócio-cultural e eclesial. Há que ajudar a descobrir a Deus como fonte de plenitude, como libertador, como o Deus da esperança, sempre próximo.